Noticias Brasil

Pesquisas de boca de urna das primárias mostram como Trump remodelou Partido Republicano

[ad_1]

As pesquisas de boca de urna da CNN das disputas presidenciais mostram como o eleitorado do Partido Republicano foi remodelado à imagem do ex-presidente Donald Trump.

Em seis estados – Iowa, New Hampshire, Carolina do Sul, Carolina do Norte, Virgínia e Califórnia – a maioria dos eleitores republicanos nas primárias disse que consideraria Trump apto para a presidência mesmo se ele fosse condenado por um crime.

Nenhum desses estados teve a maioria do eleitorado republicano disposta a reconhecer a legitimidade da vitória do presidente Joe Biden nas eleições de 2020.

As pesquisas de boca de urna de saída –quando eleitores são entrevistados quando saem de um local de votação– são uma ferramenta para ajudar a entender o perfil demográfico e as opiniões políticas dos eleitores primários.

Como todas as pesquisas, no entanto, são estimativas, não medições precisas do eleitorado, especialmente para o conjunto preliminar das pesquisas de saída nos estados da Superterça, que ainda não foram ponderados para corresponder aos resultados finais das primárias. Isso significa que os números podem continuar sendo atualizados nesses estados.

Mas os resultados nesses seis estados – os únicos onde pesquisas de boca de urna foram realizadas este ano – oferecem uma visão do tipo de eleitores que estão comparecendo.

Trump dominou em todos esses estados, o que o colocou em um caminho suave para sua terceira indicação consecutiva pelo partido Republicano, enquanto sua rival, a ex-governadora da Carolina do Sul, Nikki Haley, tem lutado para acumular delegados.

A parcela de eleitores primários e participantes de caucus republicanos que têm essas visões sobre a aptidão de Trump para o cargo e sobre o resultado das eleições de 2020 varia de estado para estado, mesmo que o sentimento dominante permaneça amplamente o mesmo.

Na Califórnia, Carolina do Norte, Carolina do Sul e Iowa, 60% ou mais disseram que considerariam Trump apto para a presidência se ele fosse condenado por um crime, opinião compartilhada por maioria menor em New Hampshire e Virgínia. O ex-presidente, que enfrenta 91 acusações criminais em quatro casos, se declarou inocente em todos os casos contra ele.

Cerca de 46% dos eleitores primários republicanos de New Hampshire reconheceram a vitória de Biden nas eleições de 2020, e os números diminuem a partir daí: 41% na Virgínia, 36% na Carolina do Sul, 33% na Califórnia, 32% na Carolina do Norte e apenas 29% em Iowa. Não há evidências de fraude eleitoral nas eleições de 2020.

As respostas dos eleitores a essas perguntas também expõem a grande divisão entre os apoiadores de Trump e Haley em suas visões do cenário político. Em cada um desses estados, cerca de três quartos ou mais dos apoiadores de Trump rejeitam os resultados das eleições de 2020, um reflexo dos três quartos ou mais dos apoiadores de Haley em cada estado que reconhecem a vitória de Biden. O argumento de Trump – e o próprio Trump – têm tido ampla aceitação.

Sinais de descontentamento

Mas ainda há sinais de descontentamento com Trump em alguns setores. Quando os eleitores republicanos primários nos três estados da Superterça para os quais há pesquisas após a saída da votação – Virgínia, Carolina do Norte e Califórnia – foram perguntados se votariam no Republicano em novembro, independentemente do candidato, 70% ou mais dos apoiadores de Trump em cada estado disseram que sim, em comparação com um quarto ou menos dos apoiadores de Haley.

Muitos desses eleitores ainda provavelmente acabarão no campo republicano até o dia da eleição, mas os níveis relativos de hesitação indicam uma ala do partido que ainda não está totalmente pronta para abraçar Trump.

Nikki Haley participa de evento na Carolina do Sul / 05/02/2024 REUTERS/Alyssa Pointer

Em cada um dos seis estados com pesquisas de boca de urna, uma minoria significativa do eleitorado republicano se identificou diretamente como parte do movimento “Make America Great Again” (Tornar a América grande novamente), variando de cerca de um terço na Califórnia, Virgínia e New Hampshire a quase metade em Iowa.

Em cada estado, a maioria dos eleitores escolheu a economia e a imigração como sua principal questão, em detrimento da política externa ou do aborto.

E nos cinco estados em que a pergunta foi feita, a maioria – variando de 55% em New Hampshire a quase 70% na Califórnia – ecoou as posições linha-dura de imigração de Trump, afirmando que a maioria dos imigrantes sem documentos nos EUA deveria ser deportada em vez de receber uma chance de solicitar o status legal (a pergunta sobre imigrantes não foi feita aos participantes do caucus de Iowa).

Isso marca uma mudança de oito anos atrás, quando a maioria dos eleitores republicanos primários em New Hampshire, Carolina do Sul, Virgínia e Carolina do Norte favoreciam oportunidades para imigrantes sem documentos que trabalham nos EUA obterem status legal.

Os dados das pesquisas deste ano mostram que os eleitores republicanos primários estão divididos em sua abordagem desejada para a política de aborto em uma era pós-Roe contra Wade.

A maioria dos participantes do caucus republicano em Iowa, cerca de 6 em cada 10, disseram que favoreceriam uma lei federal proibindo a maioria ou todos os abortos em todo o país, assim como aproximadamente metade dos eleitores primários na Carolina do Norte e na Carolina do Sul. No entanto, maiorias na Califórnia, Virgínia e New Hampshire disseram que se oporiam a tal proibição.

Maiorias dos participantes do caucus republicano em Iowa e dos eleitores primários republicanos em New Hampshire, Carolina do Sul, Carolina do Norte, Virgínia e Califórnia se identificam como conservadores, embora a parcela que se autodenomina “muito conservadora” varie de cerca de um quarto na Califórnia e New Hampshire a cerca de metade em Iowa.

Em cada um dos estados, Trump obteve seu maior apoio entre aqueles eleitores que se autodenominavam muito conservadores – outra mudança desde 2016, quando os padrões ideológicos de apoio a Trump muitas vezes eram menos definidos.

Trump também acumulou apoio entre os eleitores primários que estão mais insatisfeitos com a situação nos EUA. Em cada um dos cinco estados onde essa pergunta foi feita, o ex-presidente conquistou 80% ou mais dos votos daqueles que se descrevem como irritados, enquanto ganhava por uma margem menor ou ficava atrás daqueles que se declaravam apenas insatisfeitos.

Isso reflete uma divisão entre os apoiadores de Trump e Haley ao explicar o principal apelo de seu candidato escolhido.

Os eleitores em cada estado foram perguntados se era mais importante que um candidato compartilhasse seus valores, tivesse o temperamento certo, lutasse pelas pessoas como eles ou pudesse derrotar Biden.

Na maioria dos seis estados, a maior parcela dos eleitores de Trump disse que estavam procurando por um lutador; na Carolina do Norte e na Califórnia, estavam mais divididos entre um lutador e alguém que compartilhasse seus valores. Os eleitores de Haley em cada estado, por outro lado, eram mais propensos a citar seu temperamento ou valores.

As pesquisas de boca de urna na saída da votação para os caucus republicanos de Iowa e as primárias presidenciais republicanas de New Hampshire, Carolina do Sul, Carolina do Norte, Virgínia e Califórnia foram conduzidas pela Edison Research em nome do National Election Pool.

A pesquisa de boca de urna na entrada da votação para os caucus presidenciais republicanos de Iowa inclui 1.628 entrevistas com participantes do caucus em 45 locais diferentes do caucus, com uma margem de erro de cerca de 4 pontos percentuais para a amostra completa.

A pesquisa da primária republicana de New Hampshire inclui 2.192 entrevistas com eleitores em 40 locais de votação diferentes no dia da eleição, com uma margem de erro de cerca de 4 pontos percentuais para a amostra completa.

A pesquisa da primária republicana da Carolina do Sul inclui 2.126 entrevistas com eleitores em 40 locais de votação diferentes no dia da eleição, com uma margem de erro de cerca de 4 pontos percentuais para a amostra completa.

A pesquisa da primária republicana da Carolina do Norte inclui 2.157 entrevistas com eleitores em 19 locais de votação antecipada e 30 locais de votação diferentes no dia da eleição, com uma margem de erro de cerca de 4 pontos percentuais para a amostra completa.

A pesquisa da primária republicana da Virgínia inclui 1.712 entrevistas com eleitores em 30 locais de votação diferentes no dia da eleição, com uma margem de erro de mais ou menos 4 pontos percentuais para a amostra completa.

A pesquisa da primária republicana da Califórnia inclui 585 entrevistas realizadas antes do dia da eleição, de 25 de fevereiro a 3 de março, usando telefone, e-mail e mensagens de texto para alcançar os entrevistados selecionados a partir do registro de eleitores, com uma margem de erro de cerca de 4 pontos percentuais para a amostra completa.

[ad_2]
Source link

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo